OUTUBRO ROSA 2018

Sinopse

“Rosa: as mulheres por trás da cor” é uma videorreportagem especial, produzida pela agência de conteúdo io! comunica, de Jundiaí (SP), para celebrar a campanha internacional Outubro Rosa.
O vídeo retrata um dia na vida de três mulheres diagnosticadas com câncer de mama, suas rotinas, projetos e o que mudou nelas após a descoberta da doença. Lições de vida e coragem por meio de depoimentos emocionantes e inspiradores, para ajudar na conscientização da população, principalmente a feminina, sobre a importância de se descobrir a doença precocemente e a necessidade da mamografia, do autoexame e da visita periódica ao médico de confiança.
Profissionais da medicina, um mastologista e um oncologista, e voluntários de grupos que apoiam mulheres nesta delicada fase também participam, contam um pouco de seu trabalho e deixam registrado quão significativa é a convivência com pacientes fortes e que não se deixam abater pelo câncer de mama.

Entenda as Campanhas de Anos Anteriores

BRASIL

A primeira manifestação referente ao Outubro Rosa foi em 2 de outubro de 2002, quando o monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (Obelisco do Ibirapuera), em São Paulo, foi iluminado na cor rosa.

A partir de 2008, houve um aumento no número de monumentos e prédios iluminados e a mobilização passou a ganhar cada vez mais adeptos e espaço na mídia. Foi nesse ano que o Cristo Redentor foi iluminado de rosa pela primeira vez, no Rio de Janeiro.

A DOENÇA

O câncer de mama ocorre quando há erros nos genes que fazem as células deixarem de exercer sua função normal e as induzem a desenvolver atividades anormais, como crescer de maneira desorganizada, o que causa o tumor.

A mamografia, que deve ser realizada periodicamente, é o exame indicado para detectar precocemente a presença de nódulos nas mamas.

De acordo com o Inca (Instituto Nacional de Câncer), o câncer de mama é o mais comum entre mulheres no Brasil e mundo, depois do de pele não melanoma, e representa cerca de 28% dos novos casos a cada ano. A estimativa é que até o final de 2018, este número atinja 59.700.

O câncer de mama em homens é raro, mas não impossível, assim como é mais difícil que ocorra em mulheres com menos de 35 anos. A partir desta idade e, especialmente acima dos 50 anos, a incidência aumenta progressivamente.

Mama – A mama é uma glândula que produz leite quando há estímulo de hormônios durante a gravidez.

Causas e fatores de risco – Diversos itens podem estar relacionados ao desenvolvimento do câncer de mama, como idade, fatores endócrinos, história reprodutiva, fatores comportamentais/ambientais e fatores genéticos/hereditários.

Sintomas – Principal manifestação da doença, o nódulo é fixo, geralmente indolor e, muitas vezes, pode ser percebido pela própria mulher. Outros sintomas do câncer são: pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com a casca de uma laranja; alterações no mamilo; nódulos nas axilas ou pescoço; saída de líquido anormal das mamas.
Tais sintomas podem estar relacionados também a doenças benignas da mama, mas é importante que qualquer alteração seja investigada e o médico de confiança, consultado.
Conhecer o próprio corpo, ficar atenta a quaisquer alterações, consultar o médico regularmente e fazer os exames periódicos são atitudes fundamentais para detectar a doença precocemente.

Tratamento – O câncer de mama pode ser tratado por meio de cirurgias, medicamentos quimioterápicos e hormonioterápicos e radioterapia. E o tratamento é específico para cada indivíduo.

Diagnóstico – O câncer de mama pode ser detectado no exame clínico ou por exames de imagens (mamografia, ultrassom ou ressonância). Depois, é realizada a biópsia, por meio da qual pedaços do tumor são analisados pelo médico patologista, que poderá afirmar se a alteração é ou não um câncer. Outros exames também podem ser solicitados, dependendo de cada caso.

Prevenção – Difícil de ser prevenida, a doença pode ser precocemente detectada, o que aumenta as chances de cura. Uma maneira de se prevenir o câncer de mama é por meio da realização da mamografia a partir dos 40 anos, pelo menos, uma vez por ano. A partir desta idade é recomendável que as mulheres façam acompanhamento com um mastologista de confiança. Quando descoberto na fase inicial, o tratamento tende a ser menos agressivo e as chances de cura são maiores.
Fazer o autoexame também é uma das maneiras de se detectar precocemente o câncer de mama. [leia mais sobre o autoexame aqui].
Controlar o peso e evitar a obesidade, ter uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos regularmente, evitar consumir bebidas alcoólicas e evitar o tabagismo são fatores básicos de “prevenção”, além de formarem a receita para se manter uma vida saudável. A amamentação também é considerada uma forma de prevenção.

Nos homens – É raro, representa 1% do total de casos da doença. Independentemente de idade ou sexo, o tratamento é igual.

AUTOEXAME

Coloque a mão direita atrás da cabeça;

Deslize os dedos indicador, médio e anelar da mão esquerda suavemente em movimentos circulares por toda mama direita. Repita o movimento utilizando a mão direta para examinar a mama esquerda.

Inspecione as mamas com os braços abaixados ao longo do corpo;

Levante os braços, colocando as mãos na cabeça. Observe se ocorre alguma mudança no contorno das mamas ou no bico;
Repita a observação, colocando as mãos na cintura e apertando-a. Observe se há qualquer alteração;

Finalmente, esprema o mamilo delicadamente e observe se sai qualquer secreção. A observação de alterações cutâneas ou no bico do seio, de nódulos ou espessamentos, e de secreções mamárias, não significa necessariamente a existência de câncer.
Você deve procurar por:
• Caroços (nódulos);
• Abaulamentos ou retrações da pele e do complexo aréolo-mamilar (bico do seio);
• Secreções mamilares existentes.

ORIENTAÇÕES:

• O autoexame permite perceber alterações nas mamas. Frente a qualquer sinal de alarme, procure um mastologista (médico especialista em mamas);
• o autoexame deve ser realizado uma vez a cada mês, na semana seguinte ao término da menstruação. As mulheres que não menstruam devem determinar um dia específico para repetir o autoexame todo o mês;
• o autoexame não é um método diagnóstico e não substitui a visita ao mastologista. A mamografia é o único método de detecção precoce. Portanto peça sempre orientações a um médico especialista.

IMPORTANTE:

• O autoexame das mamas não substitui a consulta de rotina que deve ser feita ao mastologista.

CONSULTA

Muitas vezes, os tumores são detectados pela própria paciente, então, faça o autoexame mensalmente na semana seguinte ao término da menstruação, se você tem mais de 20 anos.Já as mulheres que não menstruam devem determinar um dia específico para repetir o autoexame todo os meses.

Cerca de 80% dos nódulos mamários são benignos, mas é importante procurar o mastologista para que ele, que é especialista, possa solicitar os exames necessários, em caso de alteração, e tomar as providências cabíveis.

Apesar de ser menos comum, o câncer de mama também pode atingir os homens

O autoexame das mamas não substitui a consulta de rotina que deve ser feita ao mastologista.

Para ser atendida pelo Sistema Único de Saúde na cidade, a paciente deve procurar a Unidade Básica de Saúde do bairro em que mora ou entrar em contato com o Ambulatório de Saúde da Mulher, que oferece atendimento especializado para doenças como câncer ginecológico e de mama, além de esterilidade, pré-natal de alto risco e orientação sobre planejamento familiar. A paciente pode ainda procurar atendimento em clínicas particulares ou recorrer ao médico de confiança no plano de saúde.

Ambulatório Saúde da Mulher
Praça Rotatória, s/nº, Jardim Messina
Tel.: 11 4527-4600
Atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h

Este site divulga dados com o objetivo de ajudar a disseminar informações sobre o câncer de mama,mas nada substitui uma consulta ao médico de confiança.

AS CAMPANHAS

CAMPANHA 2014

A internet é um universo especial, muitas das coisas que acontecem aqui não existem no mundo real. Mas, às vezes, o que nasce na web pode se materializar em forma de boa ação fora da tela.

Casa comigo, Prefs?
Conhecida por ser descolada, a página da Prefeitura de Curitiba, ou só Prefs, é sensação entre os internautas de todo o Brasil. Por ser apenas uma página no Facebook, além de órgão público, a Prefs não pode casar. Ou melhor, não podia. A partir de uma “cantada” da Prefeitura do Rio de Janeiro surgiu o #CasamentoVermelho.

Quem ama, doa!
O #CasamentoVermelho, “ocorrido” no dia 27 de setembro de 2014, foi uma campanha nacional de doação de sangue, tendo as cidades de Curitiba e Rio de Janeiro como principais pontos, afinal, foram elas que se “casaram”. Outras cidades aderiram à ideia, e tornaram-se cidades-madrinhas da união. Entre elas estava Jundiaí.

Quem casa quer… Presente!
A “noiva”, Curitiba, publicou em sua página no Facebook uma lista de presentes sociais para celebrar a união e convidou ainda as cidades-madrinhas para fazerem suas próprias listas. Levar idosos para passear, plantar árvores e doar livros para bibliotecas foram só alguns dos itens. A ideia foi promover gentilezas e oferecer às cidades presentes úteis para muitas pessoas.

Shhh, é segredo!
A partir da lista publicada pela Prefeitura de Jundiaí, a agência de marketing io! comunica, acreditando que o fator surpresa deixaria tudo ainda melhor, resolveu que seu presente seria secreto e a curiosidade ficou no ar…

Outubro Rosa
O mês internacionalmente reconhecido por promover o combate ao câncer de mama estava logo ali, só faltava uma luz acender na cabeça… Pronto! Criativo que é, o pessoal da io! decidiu dar o presente mais valioso de todos para as pessoas da cidade: a informação, por meio de uma intervenção urbana.

#AtitudeRosa
Sendo a informação o presente mais valioso, só faltava encontrar um meio de transmiti-la. Então, surgiu a Atitude Rosa: campanha com o objetivo de conscientizar a população sobre a doença de maneira leve, interferindo no cotidiano das pessoas de um jeito especial, promovendo uma reflexão acerca do tema.

O resultado pôde ser conferido na sexta-feira, dia 17 de outubro de 2014, logo que o Sol nasceu. Centenas de balões cor-de-rosa flutuavam pela Praça Governador Pedro de Toledo, a Praça da Matriz, trazendo uma mensagem para lembrar às mulheres que façam o autoexame de mama e a mamografia periodicamente, procedimentos importantíssimos e que podem salvar vidas e sonhos.

Confira o vídeo da ação!

CAMPANHA 2015

Pelo segundo ano consecutivo, a agência de comunicação e marketing io! comunica realizou uma intervenção urbana na região central de Jundiaí em homenagem ao Outubro Rosa. Desta vez, a ação foi feita no final do mês, no dia 30 de outubro, para celebrar também o Novembro Azul.Aproximadamente 300 bexigas nas cores rosa e azul foram instaladas no viaduto da Avenida Jundiaí. As bexigas rosas traziam os dizeres: “Faça o autoexame de mama – #atituderosa”; já as azuis estampavam: “Sem preconceito. Faça o exame de próstata – #atitudeazul”. Ambas as campanhas têm o objetivo de conscientizar a população quanto à prevenção e combate ao câncer de mama e de próstata.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), depois do câncer de pele não-melanoma, o câncer de mama é o que mais acomete mulheres no País e mundo, enquanto o de próstata é o mais comum entre os homens. De acordo com o diretor de Atendimento da agência, Rodrigo Góes, a intervenção foi realizada mais uma vez, devido ao impacto que pode causar na população jundiaiense. “Através das campanhas #atituderosa e #atitudeazul pretendemos lembrar mulheres e homens sobre a importância de cuidarem melhor da saúde e realizarem exames preventivos”, comenta. “Sabemos que, quanto mais cedo se descobre a doença, mais chances se tem de cura.”

Além da intervenção, a io! desenvolveu dois sites: um dedicado ao Outubro Rosa e outro inspirado no Novembro Azul. Neles, é possível encontrar informações sobre as doenças, estatísticas, locais que realizam exames e as campanhas.
Acesse: www.atituderosa.com.br e www.atitudeazul.com.br.

Edição 2014 – No ano passado, as páginas no Facebook das prefeituras do Rio de Janeiro e Curitiba se “casaram” virtualmente. Desta bem-humorada união surgiu a campanha de doação de sangue #casamentovermelho. Outras prefeituras do País entraram na brincadeira e cada uma presenteou o casal de uma maneira. O perfil na rede social da Prefeitura de Jundiaí foi uma das “madrinhas” e pediu presentes que pudessem ser “usados” pela população.

A agência de comunicação e marketing io! comunica foi a primeira empresa a se manifestar e ofereceu como presente surpresa uma intervenção urbana inédita na cidade: no dia 17 de outubro de 2014, a Praça Governador Pedro de Toledo, em frente à Catedral Nossa Senhora do Desterro, no Centro, amanheceu com centenas de bexigas em referência ao Outubro Rosa. Outras empresas participaram e presentearam Jundiaí com alguns itens da lista de presentes com caráter social, educacional e ambiental.

Vale lembrar que em setembro deste ano o casamento de Curitiba e Rio de Janeiro acabou, mas que a iniciativa inspirou e deixou sua contribuição.

CAMPANHA 2017

Elas são Vivianes, Patrícias, Mônicas e Marias… são casadas, solteiras, são mães e filhas… são bancárias, pedagogas, jornalistas, donas de casa… têm 20 e muitos, 30 e poucos ou 50 anos… são mulheres que podem não se conhecer, morar em diferentes cidades, mas que estão conectadas por um mesmo acontecimento que afetou suas vidas: o câncer de mama e o que passar por esta experiência deixou, modificou dentro delas.Algumas tiveram o problema há quase 15 anos, outras precisaram enfrentá-lo uma, duas, três vezes. Vezes demais. Ter ciência da iminência do perigo, da possibilidade da ausência e a sensação de que ainda não é hora causam medo. Não é fácil ouvir que se tem uma doença grave. Portanto, lidar com tal situação faz com que as pessoas mudem.

Talvez a essência permaneça a mesma, mas pode ser que o amor próprio, a intensidade na maneira de viver, o hábito de cultivar boas lembranças, o fato de ajudar outras pessoas e a valorização de quem e o que realmente importam mudem: uma ida ao parque com a família nunca mais será a mesma; a releitura daquele livro de cabeceira pela terceira vez trará ainda mais descobertas; o aroma da laranjeira e o gosto do café ficarão mais fortes; o som das gargalhadas será mais alto e as imagens, mais nítidas.

Pelo terceiro ano consecutivo, a io! comunica olha para o Outubro Rosa como uma oportunidade de enaltecer e contar histórias de mulheres inspiradoras e corajosas, para mostrar às nossas mães, filhas, irmãs, amigas e esposas, às importantes mulheres de nossas vidas que, com apoio, tratamento e perspectiva é possível ter esperança em dias melhores. E que prevenção é palavra-chave quando se pensa em câncer de mama, pois quanto mais cedo se descobre, maiores as chances de cura.

Então, este ano, perguntamos: como você era antes da doença e como você é hoje? Quisemos também saber qual a #atituderosa que elas trazem consigo. Na verdade, estas perguntas foram maneiras de tentar entender como elas puderam ser tão fortes!

Compartilhamos com vocês nossas descobertas.